Nós e as missões

Chamados à informação

O apelo de missões começa com a informação. Antes de nos lançarmos na tarefa incumbida por Jesus à sua igreja, também conhecida por Grande Comissão (Mateus 28:18.20; Marcos 16:15); Lucas 24:47-48; Actos 1:8), precisamos de estar devidamente informados, comprometidos, para além de motivados e prontos para obedecer.

A informação de que necessitamos pode chegar até nós por três vias: lendo, ouvindo, vendo. É por isso que é fundamental que uma igreja que deseja ser obediente ao mandato do Senhor, precisando para tal do envolvimento dos seus membros, os mantenha a par daquilo que a Bíblia ensina sobre o assunto de missões, bem como a informação procedente de outras fontes, tais como: revistas, vídeos, conferências, através do púlpito, visita de missionários que estão no campo, entre outros.

Uma das formas de avaliar o trabalho que a igreja desenvolve na área de missões e a informação que possui sobre o campo missionário, será através de questões como as que a seguir formulamos: 1. Quantas mensagens sobre missões foram pregadas recentemente? 2. Quantos missionários visitaram a igreja no último ano? Quantas conferências missionárias foram realizadas pela igreja? 3. Existe algum dia do ano dedicado à ênfase missionária? 4. Que projectos missionários estão a desafiar a igreja presentemente?

A informação que chega até nós permite-nos ter uma percepção do mundo de Deus, das suas necessidades, ajudando-nos a formar uma imagem e uma consciência da realidade em que vivemos. E quem deve ser o motor da criação dessa auto-estrada do conhecimento e da informação missionária que é tão importante à vida da igreja? O pastor, naturalmente, como elemento-chave no processo de motivação dos membros da sua igreja para a ceifa. São eles que, na sua qualidade de líderes espirituais responsáveis pelo rebanho, ocupando uma posição de influência que é única, podem e devem transferir a visão e a mobilização que por sua vez leva á acção. A esmagadora maioria dos cristãos permanecerá imóvel e insensível ao clamor dos perdidos, a menos que o pastor tome a dianteira na formação de uma consciência missionária através do ministério da Palavra, na criação de oportunidades no sentido de adquirir conhecimento/informação, de modo a apresentar o desafio da colheita.

Uma das mais completas e actualizadas fontes de informação sobre missões mundiais, imprescindível a qualquer biblioteca cristã e, particularmente, nos departamentos de missões das igrejas, é o guia de oração, conhecido por “Operation World”, que pode ser adquirido através da internet. Aqui pode ser encontrada informação chave sobre as nações, as pessoas, as cidades, os maiores desafios à oração, mapas, entre muitos outros assuntos. Presentemente existe uma versão em suporte de papel e também em suporte digital.

O exemplo prático de alguém, antes de meter mãos à obra na tarefa para a qual Deus o tinha indigitado, foi Neemias, que recebeu informação e que seria completada por ele próprio. Ele não executou a tarefa de reconstruir os muros da cidade de qualquer modo.

O que pode ser feito então para promover e desenvolver a consciência e a responsabilidade missionária através da informação? Eis alguns passos práticos:

1. Disponibilizar recursos em suporte de papel e em suporte digital sobre missões mundiais, de modo a possibilitar o seu visionamento e estudo pessoal ou em grupo.

2. Proporcionar viagens de curta duração em grupo a campos missionários, bem como a participação em seminários/conferências.

3. Fomentar a leitura de livros e revistas sobre a temática de missões, de modo a obter uma ampla visão. Livros como “Por esta cruz te matarei”, podem ajudar-nos a formar o quadro real de missões.

4. Desenvolver uma série de mensagens sobre a missão, que contemple, entre outros aspectos, a responsabilidade da igreja o envio e suporte de missionários, de modo próprio ou em parcerias.

5. Convidar missionários para visitar a igreja partilhando o seu testemunho e necessidades.

6. Estabelecer um culto regular mensal sobre missões, que inclua actividade prática, testemunhos, notícias, promessas de fé, entre outros.

Espaço Lusofonia



Direcção Nacional de Missões © 2018 | Workmove