Nós e as missões

Chamados à intercessão

A oração é fundamental na vida da igreja, no ministério. Sem oração, nem o ministério nem a igreja podem subsistir. Como um reino de sacerdotes que somos, de acordo com I Pedro 2:9, uma das funções/deveres que nos cabe é a oração. O sacerdote é uma pessoa que tem acesso a Deus. A figura do sacerdote é retirada do Velho Testamento, onde somente estes podiam aceder ao lugar santo e oferecer os sacrifícios estipulados na Lei. Já no cristianismo é diferente, pois a igreja é uma nação em que cada cidadão pode fazer uso da sua cidadania para entrar na presença de Deus. De acordo com o ensino do Novo Testamento, cada cristão é um sacerdote, um privilégio que mais ninguém possui.

Um sacerdote é um intercessor, alguém que leva outra pessoa à presença de Deus em oração, daí que tenhamos a intercessão como imprescindível nas missões/evangelismo, uma arma poderosa no avanço/conquista das fortalezas levantadas pelo inimigo. Mas o que significa intercessão? Em boa verdade, existe uma diferença entre oração e intercessão, entre orar e interceder. Orar, numa linguagem simples é falar com Deus. Interceder, é aproximar de Deus em favor de outra pessoa. É por isso que uma das características da intercessão reside no facto de que, quem intercede, identifica-se com a pessoa que leva à presença de Deus. Por exemplo, quando oramos pelos pecados da nossa nação, clamando pela misericórdia e bondade de Deus em seu favor.

O significado da palavra “interceder” em latim, deriva de duas palavras, a saber “Inter”, que significa “Entre” e “Cedere” que significa “ir” ou “Aceder”. Assim, “Interceder” significa “ir entre”, uma ideia que podemos observar em Ezequiel 22:30 que diz: “E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei”. Usando a figura de um muro, a intercessão surge assim como uma barreira que aplaca a justiça de Deus, uma forma de protecção, de modo a preservar a pessoa da sua transgressão diante de Deus. Expressa a ideia de um intermediário, alguém que se interpõe com ousadia entre duas parte, procurando alcançar o favor para outrem. Na Bíblia encontramos várias pessoas que se interpuseram em favor de alguém, como foi o caso de Moisés quando intercedeu pelo povo salvando-os da destruição fruto da sua desobediência (Salmo 106:23). Um outro exemplo notável de alguém que com ousadia fez intercessão, foi Abraão, ao colocar-se entre Deus e os habitantes de Sodoma e Gomorra (Génesis 18:27).

O segredo numa intercessão eficaz e poderosa, reside em dois factores, a saber:

1 - Aproximar-se de Deus crendo que Ele existe e que é galardoador daqueles que o buscam em inteira certeza de fé, numa palavra: Confiança, ousadia.

2 - Apresentar-se diante de Deus pela ligação de proximidade, como ilustra a história de Ester.

A história de missões está impregnada de orações respondidas. Queremos, por isso, lançar o desafio a todos aqueles que acreditam no poder da intercessão, que estão dispostos a receber de Deus o desafio de carregar sobre os seus ombros um peso por alguém que Deus coloque no seu coração, independentemente do tempo que requeira. Por quem devo interceder então? Eis algumas sugestões:

1. Pelos missionários que estão no campo. Existem vários motivos para interceder por eles, tais como a natureza do trabalho, a responsabilidade de apresentar Jesus, por protecção, por graça para ser aceite, pela sua família, por suprimento financeiro, por discernimento, por capacidade, revestimento do alto, entre outros.

2. As populações alvo e as suas necessidades espirituais e físicas, a sua cultura, modo de vida, o seu habitat, as suas tradições religiosas, por libertação do poder das trevas que amarra essas pessoas. 

3. A necessidade de mais obreiros, de acordo com o pedido de Jesus em Lucas no capítulo 10.

4. Pelos novos convertidos, cujas práticas pecaminosas do passado tendem a dificultar a transição do poder das trevas para uma nova posição em Cristo. Por certeza e segurança: “Maior é aquele que está neles do que o que está no mundo”.

5. Interceder por quem detém o poder político, de acordo com as instruções que a Palavra de Deus nos dá, de modo a que o evangelho circule livremente e o conhecimento da glória de Deus seja manifesto a cada pessoa.

6. Interceder pelos outros que estão sem Cristo, é invadir o poder das trevas que tem completo domínio sobre eles. É lutar para que o céu se encha e o inferno esvazie. Nesse processo de luta espiritual, esteja atento às ciladas do inimigo na sua própria vida.

7. Interceda por aqueles que levam o evangelho, de modo a que o seu esforço redunde na plantação de novas igrejas entre as populações, criando condições para que os nascidos de novo possam crescer na graça e no conhecimento de Deus.

Finalmente, saiba que Deus teve em mente todas as nações da terra no seu plano de redenção, mesmo as partes mais remotas da terra (Salmo 2:8). Estão prometidas por herança ao seu Filho Jesus, mesmo os povos do mundo e os concelhos ainda não alcançados do nosso país (Salmo 2). No propósito eterno de Deus estão incluídos todos os moradores da terra. 

Espaço Lusofonia



Direcção Nacional de Missões © 2018 | Workmove